Tag Archives: fretjob

Route 66

fender mustang 66

Já há muito que esta guitarra deveria ter entrado para este blog. As fotos chegam mesmo a tempo do primeiro aniversário do atelier Afinas ou Não Afinas? na rua do Breyner.

É uma Fender Mustang de 1966 e, além do peso dos anos, carrega também três generosas camadas de tintas e vernizes. Como já tinha referido anteriormente neste blog, o vermelho Dakota foi reprimido pela cor azul, no tempo de Salazar. Uns anos mais tarde, descontente com o azul FCP, a guitarra foi novamente pintada de preto. Está então na altura de devolver a dignidade a esta guitarra. Inicialmente foi ponderada a cor Daphne Blue, Sonic Blue até que finalmente decidi, em cojunto com o cliente, que o projecto passaria por devolver a guitarra ao seu estado original, na medida do possível. Em termos de acabamento, tentarei replicar o estado actual da guitarra, não tivesse ela sido sujeita aos processos que descrevi.

Contudo, os problemas da guitarra não se resumiam ao acabamento: os trastos estavam em péssimo estado, a pestana partida, algumas das ferragens a precisar de uma boa dose de TLC.

mustang pickguard
O chanfro desta pickguard não escapou à tinta preta.

mustang fretboard coming off
E os problemas continuam. A escala está descolada.

finishing schedule nitro
Antes de começar seja o que for, faço uma planificação dos passos seguintes e são feitas várias anotações para referência futura.

vintage mustang stripping finish
Aqui podemos apreciar a quantidade de tinta que camuflava o, ainda intacto, Dakota Red. Se não estou em erro, podem ver-me de raspador nas mãos a trabalhar nesta guitarra, no vídeo de apresentação Afinas ou Não Afinas? em 30 Segundos.

mustang stripped finish
Aproveitei para deixar visível um pouco da cor original, para a fotografia. Foi bom constatar que o acabamento original ainda lá estava, uma vez que me permitiu ter a melhor referência para acertar a cor.

mustang dakota red nitro
Segue-se então um par de camadas preliminares para a base da cor, que foi então seguida de várias camadas de verniz nitroceluloso.

mustang bone nut
Enquanto tinha o corpo hipotecado na estufa fiz uma nova pestana de osso.

E para terminar:
mustang nitro refin final

mustang nitrocelulose refin dakota red

Muito obrigado ao Ricardo, por me ter confiado este trabalho.

Fretjob or fretdress?

ibanez jem worn frets

Antes de mais, o fretjob consiste na substituição dos trastos num instrumento. O fretdress refere-se a um conjunto de operações que passam por nivelar, bolear e polir os trastos existentes. Por vezes, é necessário fazer um fretdress como finalização de um fretjob.

A decisão de optar por um fretjob ou fretdress é, muitas vezes, ditadas pelo estado actual dos trastos.

jem fretdress

Neste caso, temos uma Ibanez Jem (o modelo de assinatura do Steve Vai) com os trastos em estado pós-guerra. As consequências passam por um instrumento mais difícil de tocar porque a zona de contacto entre a corda e o trasto é grande. Pelo mesmo motivo, a linha de intonação de cada trasto é desviada do seu lugar original, fazendo com que seja ter o instrumento correctamente afinado e intonado. Para terminar, quando os trastos se encontram com este nível de desgaste, inevitavelmente temos uns com mais desgaste do que outros. Por todas estas irregularidades, o instrumento só não irá trastejar se tiver uma acção altíssima.

O estado deplorável dos trastos tornou a opção de fretdress praticamente impossível, uma vez que o sulco mais profundo passaria a ser a altura de referência dos trastos. Depois de medir e voltar a medir, concluí que tinha massa suficiente para não comprometer o desempenho desta guitarra. Evitamos um fretjob durante uns bons tempos, uma vez que tenho a certeza que já não resta trasto suficiente para um novo fretdressing.

E agora as fotos:

fretdress leveling bar
A viga de alumínio calibrada de acordo com o raio de curvatura desta escala: 16 polegadas.

leveling process
Depois de muitas passagens, ainda há muito material para remover.

leveled frets
A esta altura os trastos já se encontram nivelados, sendo necessário boleá-los para repor o seu perfil semi-circular. Após esta fase estarão sujeitos a 4 gramagens de lixa e posteriormente polidos.

jem fretdressing final
Et voilá. A guitarra encontra-se agora afinadíssima e fácil de tocar, com os mesmos trastos (ainda que consideravelmente mais baixos). Tenho a certeza que quando esta guitarra voltar será para um fretjob.