Category Archives: Guitarras

À terceira é de vez

Esta é a segunda guitarra do Sr. Saul Koll que me vem parar às mãos. A primeira encontra-se ali em baixo, na segunda foto, e pertence ao Lee Ranaldo. A da primeira foto é uma Jr. Glide e, na minha humilde opinião, é a melhor alternativa contemporânea a uma Gibson Les Paul Junior dos anos 50. Tenho de confessar que tenho um fetiche particular pela combinação de pickups P90 e o mogno.

koll guitars jr glide electric guitar

lee ranaldo sonic youth koll guitars hollow jazzblaster widerange pickups

A Lei de Lavoisier

O nosso cliente cansou-se das dificuldades associadas à substituição da pilha nesta Martin DRS1. Então, pediu-nos que fosse instalada uma caixa para acesso facilitado à pilha, na ilharga do instrumento. Como Lavoisier dizia que, na natureza, nada se cria e nada se perde, fiz um porta-chaves com as sobras do rasgo que fiz na ilharga.

martin drs1 battery compartment modification

Não há duas sem três

spray booth nitrocellulose lacquer gibson nighthawk broken headstock

Na nossa cabine de pintura podemos ver esta Gibson Nighthawk do Miguel Araújo. A guitarra partiu duas vezes na região da cabeça antes de vir parar às nossas mãos. Nas abordagens anteriores foram utilizadas duas cavilhas para reforçar a estrutura, sem sucesso aparente. Foi então altura de resolver o problema, com direito a um restauro da pintura com a mais-que-merecida laca nitrocelulose.

Ficam as fotos.

02fullfront

03fullheadstock

04fullheadstock

Family Portrait

Em vésperas de mais uma digressão com o Lee Ranaldo, deixo-vos um bonito retrato de alguns de alguns instrumentos envolvidos nos últimos trabalhos.

family-values

Para os curiosos, da esquerda para a direita:

– Fila traseira: Hofner 500/1, Hofner Club Bass, Hofner 500/1
– Fila intermédia: Hagstróm Concord, Burns Double-Six, Teisco Shark Fin, Hofner 185
– Primeira fila: guitarra portuguesa construída por João Pedro Grácio Júnior que, algures no passado, pertenceu a Carlos Paredes. Um pedaço da nossa história musical que tive o prazer de restaurar. Brevemente irei publicar algumas fotos e pormenores sobre este trabalho.

Heavy Metal

eyb sitar bridge celso pinto luthier afinas ou nao afinas porto guitarra electrica citara

Para quem não conhece as pontes da Eyb, ficam desde já a saber que se trata de um design interessante pela sua simplicidade e eficácia ao simular um sitar numa guitarra eléctrica. Brevemente irei mostrar aqui o projecto onde esta ponte foi utilizada, que não é menos interessante.

Até lá!

I’m still here

O título desta entrada é também o título de um estranho mockumentary do Casey Affleck, com o Joaquin Phoenix. Aqui, serve apenas para dizer que, depois de vários meses sem actualizações, efectivamente ainda aqui estou e, a bem dizer, invariavelmente ocupado entre digressões, restauros, toneladas de reparações e outras coisas giras a divulgar na altura certa.

Prometi que iria dedicar mais tempo a este espaço e isso quer dizer que terei de organizar conteúdos relativos aos trabalhos que por aqui tive nos últimos tempos, mas, enquanto isso não acontece, deixo-vos as fotos de parte do processo de remoção e posterior colagem da ponte numa guitarra estilo Weissenborn.

weissenborn_guitar_bridge_removal

weissenborn_guitar_bridge_clamping

Esta, poderão ouvi-la nos concertos dos The Telegram.

Splintery ebony

Se a ductilidade é uma propriedade característica de alguns materiais, não é certamente a do ébano. A juntar à falta desta, temos também uma densidade invulgar. Algo a rondar os 1200 kg/m3.

O meu cliente comprou esta Epiphone Les Paul Custom Prophecy e, ao procurar reduzir a deflexão apresentada no braço, constatou que o primeiro trasto se encontrava bem mais baixo do que os restantes ao ouvir uma nota Fá que insistia ser um esquizofrénico Fá#. Num impulso de improviso e autodidatismo – que é sempre de louvar – o dono deste instrumento tentou elevar o trasto com um alicate para corrigir a discrepância. Ambos concordámos que não correu bem.

Abaixo podemos ver o resultado do pequeno restauro, pouco antes de avançar para a rectificação efectiva da altura entre os trastos.
Para resumir: independentemente da ductilidade da madeira que constitui a escala de um instrumento, o trasto tem que estar devidamente cravado e estabilizado na madeira. Outros problemas como notas de fraca duração/timbre ou intonação deficiente irão resultar de uma manobra destas.

afinas ou nao afinas escala de ébano quebradiço restaurada celso pinto luthier porto portugal