Monthly Archives: July 2010

To relic or not to relic?

Gibson Les Paul Junior 57

Há alguns dias atrás coloquei aqui um post sobre uma Gibson Les Paul Junior de 1957 que tinha acabado de chegar.

A guitarra apresentava as habituais cicatrizes de um instrumento de palco com 53 anos mas, para além disso, tinha um fretjob extremamente irregular, uma pestana muito mal feitinha, um controlo de tonalidade que nunca funcionara, e uns afinadores que, além de historicamente incorrectos, se encontravam claramente danificados. Não se trata de uma guitarra de colecção, portanto. Podem ver este instrumento em qualquer concerto dos GNR* pelas mãos do Andy Torrence. Um cliente recente mas com quem criei uma empatia praticamente imediata.

Tratámos então de denunciar os problemas da guitarra e dar por encerrado o capítulo da negligência.

Vamos às fotos? Vamos.

A pestana a abater:

Les Paul Junior nut - before

A pestana que fabriquei, em osso por branquear:

Les Paul Junior nut - after

A electrónica completamente original e agora 100% funcional. Reparem no condensador Sprague Bumblebee. Estes 2 potenciómetros e o condensador custam cerca de 200 euros, no mercado actual. Uma valorização de… wait for it… 1300%.

Les Paul Junior electronics

Os afinadores que equipavam esta guitarra eram uns Kluson waffleback em muito mau estado. O Andy trouxe uns keystones dourados mas rapidamente lancei a ideia de os esquecermos e colocarmos uns idênticos aos originais.

É aqui que se lança o repto: relicar, quando e porquê? A meu ver, os afinadores completamente novos iriam contrastar de um forma pouco elegante com este pedaço de história. Imaginemos uma personalidade jet-set de 50 e tal anos com algo a desafiar as leis da gravidade, à falta de metáfora mais colorida.

Os waffleback a substituir:

Waffleback tuners

À esquerda temos os afinadores a instalar. À direita, afinadores originais dos anos 70, acarinhados pelo tempo:

Tuner relic

Aproveitei para brincar um pedaço e experimentar várias técnicas de envelhecimento acelerado.

3 degrees of relicing

1. Afinador Gotoh à la Kluson de produção recente, sem envelhecimento
2. Set de afinadores ligeiramente envelhecimentos, sem tocar nos botões de plástico
3. Envelhecimento vincado, com a toada bege-acastanhada e sujidade induzida
4. Set original dos nos 70, de uma Gibson B45-12 que anda por aqui à espera de aprovação do orçamento para restauro completo. Uma referência em termos.

Et voilá:

De salientar que as ferragens foram cuidadosamente envelhecidas, não comprometendo a sua funcionalidade. Afinal de contas, os afinadores foram trocados porque os anteriores revelaram-se inúteis depois de 30 anos de abuso.

E chega a hora de dizer adeus à minha nova guitarra favorita. Aproveitei para tirar todas as medidas e fabricar alguns moldes, pelo que quando o tempo livre abundar terei coisas interessantes para fazer.

*no próximo dia 15, no Festival Marés Vivas, onde também eu vou tocar com O Lobo

Update: um par de fotos da guitarra a fazer o que é suposto, nas mãos do Andy.

Fotos por Diana Rui

Ponte partida: do, undo

Esta ponte partiu porque a sela se encontrava com uma folga considerável, fazendo com que a tensão se concentrasse num só ponto e não na superfície que lhe fora reservada.

O trabalho consistiu então na reparação da ponte, na elaboração de uma nova sela de osso cuidadosamente calibrada, na rectificação do rasgo da ponte e numa nova pestana também de osso.